Archive | October, 2010

a surpresa mora ao lado

10 Oct

Se tem duas coisas que deixam meu dia mais feliz essas duas coisas são: olhar a minha cidade com olhos de turista (aprendi com a minha mãe, e agora fico o tempo inteiro tentando lembrá-la disso) e deixar o dia acontecer, sem muitos planos e com muitas surpresas gostosas.

Ontem foi um desses dias. O dia começou com a mão na massa e entregas de xcakes, depois me deixei levar por um cinema aqui, uma preguiça alí, uma boa conversa acolá. Mas foi na hora que a fome bateu que as surpresas vieram. O Roger e eu somos gente do tipo que vai sempre aos mesmos lugares, que gosta de estar entre gente que a gente conhece, que sabe alguns cardápios da cidade de cor. Mas ontem nos lembramos da dica da querida Daniela Bravin, que em geral nos indica vinhos incríveis no Ici, no Tappo ou no Diner 210 e certo dia nos indicou o restaurante Cosí – como estávamos ali pro Higienópolis decidimos nos deixar levar pelos novos sabores.

O Cosí de cara chama atenção por estar numa ruazinha sem muito movimento da região, com negócios e lojas bem de bairro, e por ter uma bela implantação – aproveitaram muito bem o imóvel e transformaram e um lugar simples mas muito elegante, muito mais bonito do que muito restaurante novo por aí. As massas são feitas na própria casa e rechedadas na hora. A carta de vinhos é bacana e tem coisas boas a preços muito bons. Chegamos cedo e ainda tinha uma mesinha na varanda, mas o lugar foi enchendo, enchendo, até que percebemos que um grupo de quatro pessoas tinha decidido atravessar a rua e entrar no que a princípio parecia uma loja de vinhos.

Quando terminamos o jantar, cruzamos a rua para conhecer a Le Tire-Bouchon e descobrimos muito mais que uma loja de vinhos. Um Bistrô cheio de gente em suas mesas esparramadas entre as prateleiras de vinhos, uma seleção incrível de vinhos de importação própria e, especialmente, o Jean, dono do lugar e guia generoso. Ele nos contou histórias e nos mostrou cada um seus vinhos, mostrando com a mesma paixão e o mesmo encanto vinhos de R$ 38 (um deles de Carcassone, cidade murada na França onde fui quanto tinha 15 anos!) e vinhos que ele traz na mala de tão especiais.

Jean ainda me indicou dois bons vinhos para harmonizar com cheesecakes, e eu prometi voltar lá em breve para jantar e provarmos juntos xcakes + espumante Clairette de Die (que segundo ele são antecessores da champanhe).

E que assim seja! E que as surpresas se repitam!